Bem-vindo ao STIPDAENIT   •   Fundado em 1985   •  
 
 
 
 

Notícias

MILHARES DE BRASILEIROS PROTESTAM CONTRA AS REFORMAS DA PREVIDÊNCIA E TRABALHISTA

16/03/2017

As ruas das capitais de 23 estados foram tomadas por trabalhadores e trabalhadoras no Dia Nacional de Paralisação Contra as Reformas Trabalhista e da Previdência na tarde de quarta-feira, dia 15. O Centro do Rio de Janeiro recebeu mais de 50 mil trabalhadores e trabalhadoras que atenderam a convocação dos sindicatos e centrais sindicais.

Os manifestantes começaram a concentração às 16 horas, em frente a igreja da Candelária. De lá, partiram em caminhada rumo à Central do Brasil, onde o ato se dispersou por volta das 19h após um confronto entre manifestantes e a Guarda Municipal, reforçada por Choque e Polícia Militar.

A grande presença no ato mostra que o povo brasileiro não irá engolir mais essa série de ataques do governo de Michel Temer. As reformas trabalhista e previdenciária, além do projeto de terceirização da atividade-fim e as privatizações de empresas públicas (como é o caso da Cedae) mostram a agenda agressiva contra os direitos e necessidades da população. O povo precisa mostrar sua força e lutar hoje antes que perca conquistas históricas e se lamente no futuro.

 

Veja fotos do ato em nossa página no Facebook

 

PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA E TRABALHISTA

 

Reforma da Previdência

  • Idade mínima de 65 anos para homens e mulheres

  • Tempo mínimo de contribuição aumentará de 15 para 25 anos

  • Aposentadoria integral só com 49 anos de contribuição (nas regras atuais, a média é de 35 anos de contribuição). Ou seja, ou o contribuinte começa a trabalhar com 16 anos ou trabalhara além dos 65 anos, precisando chegar a 70 ou 75 anos na ativa.

  • As novas regras ignoram as diferenças de expectativa de vida no Brasil, pois muitos estados têm expectativa inferior a 72 anos. Dessa forma, muitos trabalhadores não irão se aposentar antes de falecerem.

  • Ao colocar homens e mulheres nas mesmas regras, é ignorada a realidade das trabalhadoras brasileiras, que fazem dupla ou tripla jornada cuidando dos filhos e das tarefas de casa desde muito novas

  • Nas pensões por morte, o valor pago será de 50% do benefício recebido pelo contribuinte falecido, mais 10% para cada filho.

  • Quem ficar muito tempo sem emprego formal, o que é a realidade em nosso país, vai precisar trabalhar além dos 80 anos para adquirir a integralidade

  • Cada vez que os dados do IBGE apontarem aumento da expectativa de vida em um ano, a idade mínima subirá um ano

  • Não existe rombo da Previdência. Entre 2012 e 2015, o saldo acumulado foi de R$ 236 bilhões. Ou seja, a Previdência se sustenta sozinha

  • O Governo Federal pagou 44% de sua arrecadação do ano de 2015 em juros da dívida, o dobro do valor gasto com a Previdência. E a culpa é nossa pelo dito “rombo”?

 

Reforma trabalhista

  • A jornada de 8 horas/dia poderá aumentar para 10 horas/dia sem pagamento de horas extras

  • Os acordos coletivos vão valer mais que a CLT. Isso significa maiores dificuldades para garantir direitos simples, que já estão previstos na legislação. É o famigerado “negociado sobre o legislado”

  • Ao se admitir que negociações possam suprir a lei, os trabalhadores e sindicatos ficarão enfraquecidos e os patrões, fortalecidos, que vão usar de chantagens e ameaças como demissões

  • Os contratos temporários, hoje limitados a 90 dias (3 meses), poderão chegar a 240 dias (8 meses). Assim, as empresas poderão aumentar a rotatividade da mão de obra sem precisar pagar direitos trabalhistas

  • O período de aviso prévio, que hoje pode chegar a 90 dias dependendo do tempo de casa, será limitado a 30 dias. Tudo para o patrão pagar menos na hora de demitir você

  • As terceirizações também vão aumentar se permitida a terceirização da atividade-fim. Os resultados disso serão salários menores, jornadas maiores, mais rotatividade e acidentes de trabalho

  • A precarização das terceirizações já é uma realidade, mas em vez de corrigir o que está ruim, o governo quer levar essa prática a todas as profissões

  • O horário de almoço poderá ser reduzido para apenas 30 minutos, o que seria prejudicial à saúde. A exceção irá virar regra

  • A reforma também quer diminuir o prazo para o trabalhador entrar com ações trabalhistas, dos atuais 2 anos para apenas 3 meses

  • O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, responsável pela votação da reforma, disse que a Justiça do Trabalho não deveria existir. Precisa dizer de qual lado ele está?

•  Veja outras notícias
 
 
Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos de Niterói
Rua São João, 392 - Centro - CEP 24020-040 - Niterói / RJ
Fone : (21) 2719-6240   /   E-mail: contato@stipdaenit.org.br